Como as clínicas de radiologia odontológica estão reagindo ao coronavírus?

No final de 2019, surgiu uma preocupação mundial: a China enfrentava um inédito inimigo da saúde, o novo coronavírus (Sars-Cov-2), um agente desconhecido que provocou de casos leves até mortes. Em pouco tempo, a doença, chamada de Covid-19, se disseminou globalmente, até que, em 11 de março, foi considerada uma pandemia pela OMS.

No Brasil, até o dia 24 de março, havia 2.201 casos confirmados e 46 mortes. Nessa situação de ameaça e incerteza, fica uma dúvida: como os serviços de saúde devem trabalhar nesse cenário?

Neste post, vamos tratar especificamente das clínicas de radiologia odontológica. Continue a leitura e entenda como devem ser feitos os atendimentos e quais as responsabilidades dos profissionais de saúde bucal na pandemia. Conheça também os cuidados necessários para evitar o novo coronavírus!

Como estão sendo feitos os atendimentos nas clínicas de radiologia odontológica?

A pandemia do novo coronavírus é uma crise sem precedentes, que atinge todos os setores da economia, inclusive a área da saúde. O importante para as clínicas de radiologia odontológica, neste momento, é agir com cautela.

É essencial redobrar os cuidados com a limpeza para evitar a transmissão e zelar pela proteção das equipes de saúde e dos pacientes. Isso porque os profissionais de saúde bucal são os mais expostos à transmissão desse vírus, que ocorre facilmente pelo ar, contato e gotículas de saliva.

Nesse sentido, a recomendação mais importante é restringir os horários de atendimento nesta fase, suspendendo os eletivos e priorizando as urgências. Além disso, é necessário que, se possível, o paciente não vá com acompanhante, para evitar um fluxo maior de pessoas na clínica. Fique atento às orientações e boletins do CRO na sua região. Acompanhe de perto também as recomendações da ABRO.

Atenção a casos de sintomas

Outro ponto importante é que os profissionais orientem o público a não procurar o atendimento de radiologia odontológica (mesmo para urgências) em caso de apresentar sintomas como febre, catarro, tosse, espirros ou garganta irritada. Isso também vale para os dentistas e radiologistas: havendo qualquer um desses sintomas, o indicado é ficar em casa, para não expor outras pessoas a um possível contágio da Covid-19.

Quais as responsabilidades e expectativas dos profissionais de saúde bucal na pandemia?

Em muitas cidades brasileiras, devido ao aumento do número de casos confirmados, o atendimento ao público não está ocorrendo. Desse modo, as clínicas devem pensar em estratégias de gestão e marketing, como decidir o número de colaboradores que trabalharão presencialmente, se é o momento de dar férias ou apenas suspender o trabalho de parte da equipe. Nesse ponto, vale conversar com o contador da empresa para receber a melhor orientação.

É necessário, ainda, verificar quais setores podem trabalhar home office, como os dos radiologistas que realizam laudos on-line, para que os serviços não fiquem parados. Os gestores também precisam pensar em obtenção de linhas de crédito junto a bancos, renegociação de dívidas ou de contratos de aluguel, fazer ajustes com fornecedores, entre outros pontos, para passar por este momento de maneira sustentável.

Em meio a tantas incertezas, não há outra saída: é preciso ter otimismo e pensar que a paralisação dos trabalhos é essencial para frear o avanço do novo coronavírus, de modo que a rotina do país volte ao normal o quanto antes.

Outra recomendação importante para os profissionais de saúde bucal é utilizar o tempo em casa para procurar qualificação, como cursos on-line, a fim de aproveitar essa fase para oferecer um serviço ainda melhor quando tudo estiver normalizado.

Quais cuidados as clínicas devem tomar para evitar o coronavírus?

Para as clínicas de radiologia odontológica atenderem ao público com segurança, é fundamental seguir algumas recomendações. Muitos casos de Covid-19 são assintomáticos, então, mesmo que o paciente não apresente qualquer sintoma (como tosse ou febre), não quer dizer que ele está livre do vírus.

Veja, a seguir, os cuidados que devem ser tomados de acordo com referências como o CRO-SP e a APCD.

Limpeza constante de objetos e superfícies tocados com frequência

Sabemos como as clínicas têm um cuidado excessivo com a limpeza, mas a recomendação é redobrar esses procedimentos para evitar a transmissão do novo coronavírus. É importante fazer a limpeza com álcool ou outro produto desinfetante em bancadas, maçanetas, telefones e outros objetos de uso constante.

Além da higienização dos ambientes, outra medida é deixar os espaços mais ventilados para evitar a contaminação pelo ar. Por último, disponha álcool em gel por toda a clínica, para que os profissionais e pacientes possam higienizar as mãos frequentemente e de forma prática.

Utilização de EPIs

É necessário que os profissionais da clínica utilizem os Equipamentos de Proteção Individual (EPI), como máscara, avental descartável, luvas e óculos de proteção.

A máscara deve ser utilizada não só pelo dentista ou radiologista, mas também pelos profissionais da equipe que estejam próximos ao público, como recepcionista e colaboradores da limpeza. Contudo, o ideal é trocar a máscara a cada duas horas para que ela seja uma barreira de proteção eficaz.

Além das máscaras, é imprescindível reforçar a limpeza das mãos com água e sabão, antes e depois de ter contato com os pacientes.

Limitação de procedimentos indutores de aerossóis

Para evitar riscos aos profissionais, é importante limitar os procedimentos que geram aerossóis. Se for necessário fazer esse serviço, é importante utilizar a máscara N95.

Organização da agenda para evitar aglomerações

O Ministério da Saúde recomenda ficar em casa e evitar aglomeração, por isso, a dica é organizar a agenda com um intervalo maior entre as consultas e procedimentos. Em caso de atrasos, é preciso ter o compromisso de avisar o paciente com antecedência, orientando quanto ao horário adequado para que ele comparecer à clínica.

Educação dos pacientes

Por fim, as clínicas de radiologia odontológica podem aproveitar o momento para educar seus pacientes quanto aos cuidados de higienização das mãos, além de orientar sobre a importância de evitar tocar nariz, olhos e boca e de ficar em casa o máximo possível. Essas recomendações podem ser feitas via WhatsApp ou até mesmo pelas redes sociais da empresa.

A pandemia do novo coronavírus traz muitas dúvidas e medos para profissionais de saúde bucal e clínicas de radiologia odontológica. Contudo, é preciso pensar que será apenas uma fase, ou seja, um momento para pensar em adaptações no atendimento e de se planejar para retomar as atividades quando tudo estiver normalizado.

Quer ficar por dentro de mais posts como este? Assine a nossa newsletter para receber as novidades.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.